Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Finep e Firjan discutem os rumos da Indústria 4.0 no Brasil
fechar
Compartilhar

Firjan

Embora ainda soe como uma grande novidade e um desafio a ser enfrentado pelo setor empresarial, as tecnologias ditas da Indústria 4.0 já são uma realidade no País. No debate promovido pela Finep e Firjan nesta terça-feira - 21 de agosto – sobre a Indústria 4.0 no Brasil: oportunidades, perspectivas e desafios, empresas como a Petrobras, Marcopolo e Embraco não deixaram dúvida de que trilhamos um caminho sem volta.

Internet das coisas e Indústria 4.0 são temas que vão merecer cada vez mais a atenção do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e de instituições como a Finep, que apoiam a pesquisa e a Inovação no País, afirmou Rennys Frota, diretor de Inovação da Agência, ao falar na abertura do evento sobre o sistema regional e nacional de inovação. Recentemente, a Finep disponibilizou R$ 1,5 bilhão para uma ação de fomento à inovação em internet das coisas. A ideia é apoiar inovações baseadas em tecnologias digitais com impacto na manufatura avançada, oferecendo condições diferenciadas no âmbito do financiamento reembolsável.


Rennys

“Nós queremos dividir o risco com as empresas”, afirmou Rennys Frota, diretor de Inovação da Finep, que defende um novo desenho de inovação, com investimentos em toda a cadeia produtiva.


Representando o segmento da Indústria, o diretor Regional e Superintendente da Firjan Sesi, Alexandre dos Reis, disse em relação ao tema Indústria 4.0 que o País busca a direção dos ventos. “Não temos mais como fugir deste debate e o papel da Federação é acelerar este processo”, disse o executivo.

Durante o evento, ocorrido na sede da Firjan, no Centro do Rio, empresas que estão passando por essa transformação tecnológica, contribuíram com exemplos de ações realizadas, de boas práticas e lições aprendidas, e falaram das novas oportunidades e desafios encontrados. A Marcopolo, fabricante de carrocerias de ônibus rodoviários, urbanos e micros, a Embraco, no segmento de compressores, a Petrobras e a Coca-Cola, apresentaram uma série de tecnologias da Indústria 4.0 que já foram incorporadas às suas linhas de produção. São inovações nas áreas de robótica, realidade aumentada, impressão 3D, digitalização e integração de sistemas, armazenamento de informações e rastreabilidade de dados.

O gerente da Coca-Cola Andina, Nilson Alegre, por exemplo, apresentou a recém-inaugurada fábrica em Duque de Caxias, considerada a mais moderna do mundo, com linha de produção 100% robotizada. O grupo trouxe da Alemanha as máquinas mais modernas de engarrafamento. Para a introdução dessas novas tecnologias, tanto a Marcopolo, como a Embraco e a Petrobras contaram com o apoio da Finep. “Investimos recursos próprios em Pesquisa e Desenvolvimento, mas também contamos com um forte apoio da Finep”, afirmou Júlio Igansi, executivo da Marcopolo.

O evento reuniu representantes de empresas, incluindo startups, estudantes e instituições para a troca de experiências e análise de tendências em gestão, tecnologias e pessoas no caminho para a Indústria 4.0. Em paralelo, foi realizada uma mostra com a participação de nove startups que estão atuando com tecnologias da Indústria 4.0, além do Laboratório Aberto Senai. Duas dessas empresas – VirtualCae e Efaiautomação-Coontrol – estão passando pelo processo de investimento do programa Finep Startup.

Ao encerrar o encontro, o superintendente da Área de Inovação da Finep, Maurício Syrio, disse que a Finep apoia desde as Startups até a inovação no mercado e nas empresas. “Estamos dispostos a apoiar não só a Indústria 4.0 como qualquer tecnologia inovadora que faça diferença para o nosso País”, finalizou Syrio.

 

Sede:
Av. República do Chile, 330, Torre Oeste - Centro
10º, 11º, 12º, 15º, 16º e 17º andares
CEP: 20031-170 - Rio de Janeiro - RJ.

 

Unidade Flamengo:
Praia do Flamengo 200, 3º andar
CEP: 22210-065  - Rio de Janeiro - RJ.


Telefone (21) 2555-0330

 

Outros endereços e telefones da Finep.