Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Integrando infraestrutura científica e inovação
fechar
Compartilhar

 

 Wanderley de Souza site

 

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), empresa pública vinculada ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Mctic), tem entre as suas finalidades o papel de apoiar o desenvolvimento e a inovação tecnológica utilizando vários instrumentos. Um deles é a modalidade de subvenção para apoio ao setor produtivo com recursos não reembolsáveis, tanto de forma direta como descentralizada por intermédio das várias fundações estaduais de apoio à pesquisa.

Nos últimos dez anos, cerca de R$ 1,5 bilhão, oriundos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), foi aplicado, beneficiando 4.055 projetos e 710 empresas. Outro instrumento que envolve recursos mais volumosos é a operação de crédito com juros que variam de acordo com o grau de inovação tecnológica do projeto apresentado pela empresa.

Projetos altamente inovadores podem ser enquadrados como de Inovação Crítica com taxa de juros baseada na TJLP (7,5%) ou Inovação Pioneira com taxa de juros – TJLP acrescida de 1,5%, com prazo de carência de 36 a 48 meses, prazo total de 120 a 144 meses e participação da Finep em até 90% do projeto. No caso de Inovação para Competitividade ou Inovação de Desempenho, a Finep opera com taxa TJLP acrescida de juros de 3% a 4%, com prazo de carência de 24 a 36 meses e total de 84 a 120 meses.

Um dos fatores importantes para o sucesso de muitas iniciativas inovadoras, sobretudo em áreas que atuam na fronteira do conhecimento, envolve a existência na empresa de laboratórios de pesquisa e desenvolvimento que contam com equipamentos analíticos dos mais variados. Estes são em geral de elevado custo e exigem a presença de técnicos bem treinados, muitas vezes com nível de mestrado, para a sua operação. Como a utilização destes equipamentos não é intensiva, muitas vezes um investimento na montagem destes laboratórios só pode ser feita por empresas de elevado porte.

Foi a partir desta constatação e ouvindo sugestões dos setores produtivo e acadêmico que a Finep lançou há alguns meses um edital para o novo Programa de Apoio a Laboratórios/Centros Nacionais de Caráter Multiusuário. Os centros de pesquisa a serem apoiados com recursos não reembolsáveis no montante de R$ 200 milhões, no período de cinco anos, deverão disponibilizar 15% do seu tempo para atender a demandas do setor produtivo.

É importante ressaltar que o tratamento a ser dado pelos centros às empresas, incluindo o custo de utilização da infraestrutura necessária, será o mesmo dado para o setor acadêmico. Mecanismos serão criados para incentivar apoios complementares, tanto aos centros que ampliarem sua interação com o setor produtivo como às empresas que participarem deste projeto e que requeiram apoio via operação de crédito à Finep.

Em sua primeira fase, esperamos apoiar cerca de 20 centros já existentes no país e estimular a criação de novos em estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Espera-se que este programa estimule a tão necessária interação entre o setor acadêmico e o setor produtivo, onde estes centros estão instalados.

 

Wanderley de Souza é Presidente da Finep.

 

Rio de Janeiro

Sede:
Av. República do Chile, 330, Torre Oeste - Centro
10º, 11º, 12º, 15º, 16º e 17º andares
CEP: 20031-170 - Rio de Janeiro - RJ

Unidade Flamengo:
Praia do Flamengo 200, 3º andar
CEP: 22210-065  - Rio de Janeiro - RJ.

São Paulo

Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 510 - 9º andar - Itaim Bibi
CEP: 04543-000  - São Paulo - SP

Brasília

SHIS QI 1 - Conjunto B - Bloco D - 1º Subsolo.
Ed. Santos Dumont - Lago Sul
CEP: 71605-190 - Brasília - DF

Fortaleza 

Av. Dom Luis, 807-20º e 21º pavimento
Meireles, CEP 60160-230 - Fortaleza - CE