Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Conferência discute desafios tecnológicos estratégicos
fechar
Compartilhar

 Ganem

Carlos Ganem, da Finep, participou do segundo dia do evento

 

“A tecnologia pode resolver muitos problemas, mas, às vezes, a solução não depende apenas dela, ou até mesmo não conseguimos compreender a questão. O resultado vem também de escolhas certas, colaboração e entendimento”, disse Jason Pontin, diretor e editor da MIT Tecnology Review, na abertura do segundo dia da EmTech Brasil, na quinta-feira, 19/11 no Rio de Janeiro. A parte da manhã foi dedicada a palestras sobre como a tecnologia pode provocar revoluções e desenvolvimentos impactantes em nosso dia a dia, desde o novo uso de aeronaves – como a utilização crescente de drones, por exemplo – a prevenção de desastres – com monitoramento em tempo real – até a transformação de ideias e conhecimento científico em negócios.

No painel “Dispositivos Voadores, a Revolução Aérea”, Paulo Junqueira, presidente do Conselho de Administração da Novaer, traçou a trajetória de sucesso da empresa brasileira que passou de fabricante de componentes a produtora de aviões em poucos anos. A empresa, que obteve financiamento da Finep, está em vias de receber a certificação para a fabricação do T-Xc, cujo protótipo teve seu primeiro voo em 2014. “Temos imenso orgulho de saber que é possível inovar de verdade no Brasil, e a cooperação entre Governo e empresas pode tornar isso cada vez mais frequente”, afirmou Paulo. O painel foi moderado por Carlos Ganem, da Diretoria de Projetos Estratégicos da Finep. “O papel de inventores inovadores em um mundo de incertezas é de absolutaimportância. Sonhar é possível e materializar o sonho é palatável”, comentou Ganem.

Jorge Muñoz, presidente da 3D Robotics, contou sua história bem-sucedida de jovem empreendedor, nascido no México e estabelecido nos EUA: “na minha garagem, eu desmontava e recriava componentes a partir de parte do iPhone 4 e do Nintendo Wii. Como não tinha recursos, vi que a internet era um excelente campo para expor meu trabalho, aprendendo e ensinando em fóruns. A cooperação nesse nível foi fundamental para desenvolver nossos primeiros produtos”, explicou.  Hoje, a empresa, fundada em 2009, tem 350 funcionários e fabrica drones e VANTs.

Monitoramento e prevenção
Moderado por Lindalia Reis, do Comitê de Inovação da Anpei e SingularityFellow 2010, o painel “Tecnologia e Prevenção de Acidentes” trouxe dois especialistas sobre o tema. David Gascón, cofundador e CTO daLibelium, mostrou o salto tecnológico dos sensores aplicados a diversas áreas e usos, como monitoramento do clima e condições ambientais de rios. Segundo Gascón, “são incontáveis os benefícios para a prevenção de acidentes que isso vem trazendo e seu gigantesco potencial econômico e humanitário para o futuro”, disse.

Victor Marchezini, pesquisador adjunto do Centro Nacional de Monitoramento de Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), alertou para a necessidade de se introduzir definitivamente a cultura de prevenção de acidentes naturais em toda a sociedade. “Crescemos ouvindo que somos um País sem furacões e terremotos e que, por isso, somos abençoados. Se isso é verdade por um lado, por outro não permite que se entenda a gravidade e frequência de outros desastres”, afirmou. O Centro vem promovendo a convergência entre novas tecnologias e o treinamento para seu uso em comunidades mais expostas em áreas de risco, além do constante monitoramento e divulgação de alertas.

Investimentos
A superintendente da Área de Investimento da Finep, Renata Guinther, comandou a discussão sobre fundos de investimento no painel “Ecossistemas de inovação e capital inteligente”. O Finep Startup, ação da Finep lançada recentemente, foi um dos temas do debate. Inédita no País, a iniciativa consiste no investimento direto no capital de empresas recém-criadas, juntamente com os chamados investidores-anjo, por meio de um contrato de opção de compra de ações. Segundo Guinther, no processo, a Finep vai abrir mão de parte do retorno que teria para alavancar o investimento privado do anjo. “O investidor que entrar com a Finep na startup será remunerado por isso”, disse, destacando a importância desse mecanismo inovador para a atração do anjo no negócio.

Durante a discussão sobre os ecossistemas de inovação, José Eduardo Azevedo Fiates, diretor-geral da CVentures Empreendimentos Inovadores e Participações, apontou a necessidade de valorizar as atividades empreendedoras, que, para ele, são tão importantes para o País quanto a educação. “Temos bons projetos do Brasil e uma rede extremamente capacitada, mas precisamos de uma maior mobilização focada no empreendedor”, afirmou. Para Roberto Kanter, diretor-executivo da Canal Vertical, a startup precisa se atentar ao ecossistema como um todo, e não ficar focada somente no investimento privado, que, por muitas, vezes, é mais difícil de se conseguir. “Existem entidades que podem financiar projetos através da economia colaborativa, como é o caso da Finep.

Com uma visão de fora do País,SumeetJain, diretor da Intel Capital – braço de investimentos da Intel –, alertou às startups que tem como objetivo a monetização que, muitas vezes, a escala utilizada como parâmetro nas bases de dados de potenciais programas é menor do que a necessária. “Existem casos nos quais a empresa acha que com uma base de 20 ou 50 mil pessoas vai conseguir um investimento, quando, na verdade, precisa elevar esse número para milhões”, apontou. Segundo ele, a Intel Capital já investiu, desde o começo das suas atividades, U$$ 11,5 bilhões em 1.450 empresas de 57 países, incluindo o Brasil.

Inovadores com menos de 35 anos
Durante o segundo e último dia de evento, também foram anunciados os vencedores do Prêmio Inovadores com menos de 35 anos EmTech Brasil 2015, considerado a maior referência mundial na descoberta de talentos e projetos que usam a tecnologia para resolver os grandes problemas das sociedades. Dentre os dez Inovadores com menos de 35 anos de 2015, dois ganharam um reconhecimento especial: Danielle Brants, de 31 anos, é a criadora do GutenNews, um jornal digital que traduz as notícias para a linguagem infantil; já o Inovador do Ano foi Cláudio Trindade, de 33 anos, que desenvolveu um dispositivo de implante intraocular para tratar doenças da córnea. O reconhecimento é feito pela MIT Technology Review, publicação do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).Os dez brasileiros pioneiros, empreendedores, inventores e visionários foram selecionados por um júri composto por profissionais de diversos segmentos de todo o mundo e por representantes do MIT e da MIT Technology Review.

Venture Point
Promovido pela Finep, pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Venture Point, rodada de investimentos fechada, também aconteceu ao longo da EmTech Brasil. Participaram da rodada 15 startups, que apresentaram seus projetos para um total de 30 fundos de investimentos e investidores-anjo.

 

Rio de Janeiro

Sede:
Av. República do Chile, 330, Torre Oeste - Centro
10º, 11º, 12º, 15º, 16º e 17º andares
CEP: 20031-170 - Rio de Janeiro - RJ

Unidade Flamengo:
Praia do Flamengo 200, 3º andar
CEP: 22210-065  - Rio de Janeiro - RJ.

São Paulo

Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 510 - 9º andar - Itaim Bibi
CEP: 04543-000  - São Paulo - SP

Brasília

SHIS QI 1 - Conjunto B - Bloco D - 1º Subsolo.
Ed. Santos Dumont - Lago Sul
CEP: 71605-190 - Brasília - DF

Fortaleza 

Av. Dom Luis, 807-20º e 21º pavimento
Meireles, CEP 60160-230 - Fortaleza - CE