Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Finep vai investir R$ 117,4 milhões no desenvolvimento de novas tecnologias para o setor de defesa
fechar
Compartilhar

defesa foto

A Finep acaba de divulgar o resultado final da Seleção Pública que vai destinar R$ 117,4 milhões para apoio ao desenvolvimento de 11 projetos de Inovação para a Base Industrial de Defesa. A chamada é uma parceria da Finep com os ministérios da Defesa (MD) e da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e utilizará recursos não reembolsáveis, de subvenção econômica, do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).

De acordo com o diretor de Inovação da Finep, Otávio Burgardt, foram recebidos nesta chamada 55 propostas, no total de R$ 471,6 milhões. Após uma primeira análise, foram habilitados e classificados, acima da nota mínima do edital, 39 projetos, no montante de R$ 381,8 milhões, que superou em mais de três vezes o valor ofertado, de R$ 120 milhões. “Neste momento, os recursos inicialmente disponibilizados irão permitir a execução de oito projetos da Linha 1, que contempla Tecnologias de Defesa, e três para a Linha 2, que envolve Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear.

Um sistema autônomo inteligente de defesa cibernética centrado em Informação; uma unidade de auxílio à navegação para Mísseis Balísticos baseado em Array de Sensores MEMs e Algoritmos não Lineares; sistemas de comunicações além da linha do horizonte, empregando equipamentos táticos definidos por software; e um monitor de radioatividade tipo portal para inspeção de veículos são alguns exemplos de tecnologias contempladas nas linhas 1 e 2 do edital. Para a Linha 1, a seleção ficou restrita às empresas cadastradas pelo Ministério da Defesa como EEDs (Empresas Estratégicas de Defesa) ou EDs (Empresas de Defesa), no âmbito da Lei 12.598/12 e Decreto 7970/13.

Aprovada como parte do Plano Anual de Investimentos (PAI) do FNDCT, referente ao exercício de 2022, esta chamada pública foi lançada em junho deste ano. Os seis meses entre o lançamento e a sua finalização, compreenderam o prazo para elaboração das propostas por parte das empresas interessadas, a análise de habilitação e mérito e tempo para envio e análise de recursos ao resultado preliminar.

Segundo Burgardt, o último edital orientado para a Base Industrial de Defesa data de 10 anos, “e para além dos resultados quantitativos, a integração de políticas públicas do Governo Federal foi imprescindível para viabilizar esta nova chamada”, disse.