Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Finep/MCTI apoia nova geração de vacina para pneumonia enzoótica em suínos desenvolvida pela Ourofino Saúde Animal
fechar
Compartilhar

Ourofino foto1

A Ourofino Saúde Animal desenvolveu, com recursos reembolsáveis da Finep Inovação e Pesquisa, empresa pública do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), a Safesui Mycoplasma, uma nova geração de vacina para pneumonia enzoótica em suínos. Com alta expressão de adesinas e um adjuvante exclusivo, apresenta cepa mais atualizada do mercado, proporcionando conveniência, eficácia superior e proteção de longa duração. A nova vacina garante, em uma única dose, proteção superior por 25 semanas e imunidade celular e de mucosa.

O Mycoplasma hyopneumoniae, agente primário da pneumonia enzoótica, é mundialmente disseminado e um problema recorrente nos rebanhos de suínos. Além de ser agente primário de infecção respiratória, o Mycoplasma abre espaço para agentes infecciosos secundários, que combinados, causam severas lesões pulmonares. Estas lesões são responsáveis por diminuição do crescimento dos animais, resultando em queda na produtividade. Por isso, são consideradas um dos maiores problemas sanitários e de bem-estar nas criações intensivas. Mais de 70% dos rebanhos suínos ao redor do mundo estão infectados com a M. hyopneumoniae, causando lesões por pneumonia associadas à infecção do agente.

A parceria da Finep/MCTI com a Ourofino Saúde Animal beira os 20 anos, desde a assinatura do primeiro contrato de financiamento, em 2002, sendo um exemplo bem-sucedido de apoio a inovações em empresas brasileiras do Agronegócio. Sediada em Cravinhos (SP) ao lado de Ribeirão Preto, a Ourofino tem dedicado grande esforço à pesquisa, desenvolvimento, industrialização e comercialização de medicamentos, vacinas e outros produtos veterinários, o que contribuiu para o seu crescimento em um setor intensivo em P&D e com competição de grandes multinacionais. Com apoio da Finep/MCTI, a Companhia investiu, em média, 7% de sua receita líquida em pesquisa e desenvolvimento nos últimos três anos, tendo hoje em seus quadros mais de 100 funcionários integralmente dedicados à atividade.

“Em nossos estudos comparativos observamos IPP, prevalência de lesão, prevalência de pleurisia e área de pulmão afetada menores do que as vacinas atualmente disponíveis, além de tendência de melhor ganho de peso”, afirma Ferdinando Almeida, diretor de P&D da Ourofino. A nova vacina, que é produzida em um moderno complexo fabril e está sendo comercializada desde o início do ano, “é resultado de muito trabalho e ciência”, afirmou o executivo.

Para Marcelo Silva, diretor financeiro e de relações com investidores da Ourofino, é essencial a existência de fontes adequadas de financiamento para empresas que investem em inovação, considerando que, em geral, são projetos com tempo longo de maturação e risco envolvido. “A parceria de longa data que temos com a Finep é fundamental para sermos uma indústria farmacêutica veterinária de origem nacional inovadora e relevante, pois podemos contar com linhas de crédito com prazos e custos adequados para o ciclo de desenvolvimento de P&D, que é de longo prazo e com riscos inerentes à inovação”, disse Silva.

Otavio Burgardt, diretor de Inovação da Finep/MCTI, comemora: “quando reunimos pesquisa de excelência e recursos financeiros em volume e tempo suficientes, temos um resultado como esse. A Ourofino é uma empresa nacional inovadora que briga na fronteira com competidores mundiais”, disse.

A Safesui Mycoplasma amplia o portfólio de vacinas da companhia, que já possui a Safesui Circovírus, uma vacina recombinante contra PCV2, que também atua no combate a doenças respiratórias suínas. Somando-se a isso, têm ainda as vacinas para prevenção de febre aftosa e raiva bovinas, completando o portfólio da Ourofino até o momento.