Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Finep Startup se consolida como modelo de apoio a empresas nascentes no Brasil
fechar
Compartilhar

 Finep Startup

Criado em 2017, o Programa Finep Startup, da Finep/MCTI, se consolida como uma das iniciativas mais bem sucedidas de fomento a empresas nascentes do país. Após três editais e com cerca de R$ 27.5 milhões já comprometidos, o Programa agora está prestes a finalizar a segunda rodada de seu edital mais recente e celebra os bons frutos do empreendimento.

Até o momento, são 28 empresas investidas (que já receberam aporte para seus negócios), 5 estão em contratação, e 24 se encontram na fase de due diligence (em avaliação técnica, última etapa da seleção). São empresas de áreas diversas - Agritech, Internet das Coisas, Cidades Inteligentes, Saúde, Educação, por exemplo - que têm em comum os modelos de negócios ou serviços inovadores, o apetite por empreender e a luta para se manterem vivas, superando o chamado 'Vale da Morte', estágio em que muitas empresas sucumbem, por não conseguirem produzir caixa exatamente quando demandam mais investimentos. O Finep Startup tem como foco agir para que as startups superem essa fase.

"O modelo do Finep Startup é pioneiro no Brasil, e a Finep foi a primeira empresa pública a realizar um contrato de opção de compra de participação acionária", afirma Felipe Cardoso Gelelete , gerente do Departamento de Empreendedorismo e Investimento em Startups da Financiadora. "Nesse modelo, aplica-se um recurso na startup e, caso ela venha a ter sucesso, o investimento retorna para aplicarmos em novas startups'', explica Gelelete. O programa complementa o portfólio de produtos da Finep, que apoia empreendimentos inovadores em todos os seus estágios de desenvolvimento. Saiba mais detalhes dessa chamada na página do Programa.

Casos de sucesso

A Incentive.me foi uma das primeiras empresas apoiadas pelo Programa. A startup oferece uma plataforma de incentivo, engajamento e fidelidade que conecta empresas, vendedores e consumidores. A empresa fechou o ano de 2020 com um crescimento de mais de 300% em relação ao ano anterior, possuindo uma carteira ativa de mais de 30 clientes corporativos, como Motorola, Claro e Profarma. A empresa está no ranking Top 100 Open Startups de 2020, iniciativa que destaca anualmente as startups mais atraentes para o mercado corporativo e as empresas líderes em open innovation com startups.

Criada por dois estudantes de Ciência da Computação da UFRJ, a Mainô recebeu aporte do Finep Startup em 2019. Oferece um sistema em nuvem para gestão de operações de importação, exportação e distribuição de mercadorias, com emissão e monitoramento de notas fiscais, controle de estoque, emissão de boleto, entre outras facilidades. "Os negócios das startups são, fundamentalmente, soluções inovadoras para resolver problemas de mercado que as empresas tradicionais ainda não resolveram de forma satisfatória. Esses negócios geram postos de trabalho e influenciam o crescimento do PIB local de forma significativa", explica Felipe Somolinos, sócio da Mainô.

Já a Kokku, nascida em 2011 em Recife, é a única empresa brasileira que participa da produção de games conhecidos como "triple A" - aqueles que têm maiores orçamentos da indústria. A Kokku trabalhou na arte 3D de Horizon Zero Dawn (Guerrilla Games), na programação para a franquia Sniper Ghost Warrior III (CI Games) e no co-desenvolvimento, com a GameOlic, para o game Tantra Rumble.

A Finep tem como visão transformar o Brasil por meio da Inovação

Segundo o diretor da Área Financeira, de Crédito e Captação da Finep, Adriano Lattarulo, o papel do Finep Startup é oferecer mecanismos para a empresa impulsionar e consolidar seu modelo de negócio inovador. "O programa visa contribuir para a alavancagem em setores com maiores potencialidades para a aceleração do desenvolvimento econômico e social do país, contribuindo para a produção de riquezas e melhoria da qualidade de vida dos brasileiros", afirma Lattarulo.