Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Startup brasileira desenvolve plataforma para auxiliar no gerenciamento de privacidade e adequar empresas às leis de proteção de dados
fechar
Compartilhar

 privacytools

Empresas brasileiras de todos os portes estão em uma corrida para se adequar às novas exigências em relação ao gerenciamento de dados. Desde o dia 18/10 todas elas estão sujeitas à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Pode parecer uma tarefa complicada para algumas, mas, para ajudar em situações como essa, a Privacy Tools desenvolveu uma plataforma de gerenciamento de privacidade que agrega mais segurança para empresas que precisam de ferramentas para adequação às leis. A startup foi uma das 21 selecionadas na fase de aceleração do Programa Mulheres Inovadoras, da Finep.

A plataforma Privacy Tools oferece uma série de módulos que incluem serviços como o mapeamento de dados com a geração de inventários, análise e identificação de riscos, bem como a gestão de consentimento, políticas e cookies. Há, ainda, o oferecimento de provas de consentimento, uma das bases legais para o tratamento de dados pessoais. Com a plataforma, os registros são armazenados em uma blockchain, garantindo segurança e imutabilidade no gerenciamento de privacidade. A startup também disponibiliza um atendimento especializado que possibilita aos titulares dos dados o acesso àquilo que estão concedendo.

A Privacy Tools é a primeira empresa de base tecnológica voltada exclusivamente para o mercado de gerenciamento de privacidade desenvolvida no Brasil. Com mais de 40 clientes, disponibiliza ferramentas que foram desenvolvidas com capacidade de atender não apenas a LGPD, mas também outros marcos regulatórios, como a GDPR e CCPA.

Além de promover a conformidade com as leis, a startup tem como missão ajudar cada vez mais negócios a se inserirem em um mercado praticamente 100% digital. Portanto, buscando atingir empresas dos mais diversos portes, desenvolveram uma plataforma completamente modularizada. Para a CEO da startup, Aline Lucia Deparis, o cuidado com os dados é algo vital para a existência de qualquer empresa. “Há pouco tempo, ouvíamos a comparação de que os dados eram como o ouro ou o petróleo. Eu costumo dizer que dados devem ser comparados a água, ou seja, algo necessário para a sobrevivência humana; nesse caso, para a sobrevivência do negócio”, afirmou.

Aline ressaltou que a participação no Programa Mulheres Inovadoras conferiu à empresa uma bagagem muito rica no que se refere às experiências e conhecimentos compartilhados, seja de personalidades renomadas, ou das outras participantes, empresas que estão com o mesmo propósito de crescer e se solidificar no mercado. A CEO da Privacy Tools ainda destacou a importância do Programa, afirmando que ele serve como um incentivo para inspirar muitas mulheres e “deve ser repetido inúmeras vezes, visto que o empreendedorismo é o motor para fazer com que o nosso país cresça cada vez mais”.

Mulheres Inovadoras

O programa busca estimular startups lideradas por mulheres através da capacitação e do reconhecimento de empreendimentos inovadores e de base tecnológica. O objetivo do Mulheres Inovadoras é contribuir para alavancar a participação feminina no empreendedorismo e aumentar sua representatividade no cenário nacional, favorecendo o crescimento da competitividade brasileira.

A iniciativa nasceu a partir do Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), a Finep e a Prefeitura do município de São Paulo; e conta com o apoio da RME – Rede Mulher Empreendedora, Adesampa e Founder Institute.