Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Finep/MCTI lança par de editais sobre bieconomia (de Subvenção e Cooperativo ICT) em parceria com a Alemanha
fechar
Compartilhar

 

 brasilalemanhagreenrio

 

A quinta-feira, 8/10, marcou o primeiro dia do Green Rio 2020, edição totalmente online em razão da pandemia do novo Coronavírus. Com patrocínio da Finep, o evento reúne 52 palestrantes em dois dias para debater Economia Verde, contribuindo para os setores orgânico e sustentável. Participaram da abertura o presidente da Finep, General Waldemar Barroso, o secretário de Pesquisa e Formação Científica do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Marcelo Morales, o secretário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA, Fernando Schwanke, a diretora geral do Ministério da Alimentação e Agricultura alemão, Dra. Eva Müller, e a coordenadora do Green Rio, Maria Beatriz Martins Costa. Na inauguração do evento, ainda foram apresentadas duas chamadas públicas firmadas entre Brasil e Alemanha (Subvenção Econômica e Cooperativo ICT), com participação efetiva da Finep/MCTI.

Em sua fala de abertura, o presidente da Finep destacou que as chamadas anunciadas, com foco no uso industrial da biomassa, plantas medicinais e aromáticas, representam uma ferramenta essencial na garantia de que “empresas dotadas de capacidade para levar ao mercado e à sociedade produtos que melhorem a qualidade de vida, de fato, implementem tal atividade”. Barroso ressaltou ainda não apenas a importância da ciência e tecnologia, mas também da união de esforços para superar os desafios globais.

Marcelo Morales pontuou que a edição deste ano, além de abordar os desafios atuais enfrentados pelo mundo, terá a bioeconomia como destaque temático: “ela será uma das principais agendas mobilizadoras dos esforços globais”. Para a coordenadora do Green Rio, Maria Beatriz Costa, a bioeconomia é “um agente transformador que vai além apenas do uso sustentável dos recursos naturais, promovendo uma economia circular, inclusão social, geração de renda e agregação de valor”.

A diretora geral do Ministério da Alimentação e Agricultura da Alemanha, Eva Müller, falou que bioeconomia não pode ser vista apenas no âmbito nacional, “é um desafio internacional que exige, acima de tudo, uma abordagem colaborativa, como, por exemplo, a cooperação Brasil-Alemanha”. Por fim, Fernando Schwanke apresentou as expectativas em relação às chamadas, dizendo que “será um caminho efetivo para a geração de conhecimentos, tecnologia e inovação para ganhos econômicos, sociais e ambientais de ambos os países envolvidos”. Ele parabenizou todas as entidades presentes na abertura e ressaltou o compromisso e profissionalismo da Finep ao viabilizar os lançamentos das chamadas conjuntas.

Após as considerações iniciais, a ministra da Educação e Pesquisa da Alemanha, Dra. Andrea Noske, e o ministro da Alimentação e Agricultura da Alemanha, Hans-Jürgen Froese, apresentaram a implementação e estratégia de bioeconomia utilizada no contexto alemão. Em seguida, o diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Finep, Marcelo Bortolini, apresentou os detalhes do par de editais que a Finep/MCTI, ao lado do MAPA, do Ministério da Agricultura Alemão (BMEL), do Ministério Federal da Educação e Pesquisa da Alemanha (BMBF) e das agências de pesquisa alemãs Forschungszentrum Jüelich GmbH (FZJ) e Fachagentur Nachwachsende Rohstoffe (FNR), acabam de lançar. Como destacado pelo presidente Barroso, nas iniciativas, são abordados dois temas abrangentes: biomassa (incluindo o uso de bioinsumos) e plantas medicinais e aromáticas.

A chamada pública de Subvenção Econômica à Inovação - 7/2020 objetiva conceder recursos não reembolsáveis para o desenvolvimento de soluções inovadoras por empresas brasileiras que atuem com pesquisa, desenvolvimento e inovação, preferencialmente em associação com ICTs brasileiras e obrigatoriamente em cooperação com uma instituição alemã, de modo a atender alguns dos temas e desafios da bioeconomia. Valor total: 2 milhões de euros (via Alemanha) e, no lado brasileiro, 4,65 milhões de reais (FNDCT e MAPA). Prazo de envio de propostas: até 19 de março de 2021. Resultado: até 14 de setembro de 2021.

Já o edital Cooperativo ICT– 08/2020 vai oferecer recursos não reembolsáveis para o desenvolvimento de soluções inovadoras por ICTs brasileiras que atuem com pesquisa, desenvolvimento e inovação, obrigatoriamente em cooperação com uma instituição alemã, de modo a atender alguns dos temas e desafios da bioeconomia. Valor total: 2 milhões de euros (via Alemanha) e, no lado brasileiro, 4,65 milhões de reais (FNDCT e MAPA). Prazo de envio de propostas: até 19 de março de 2021. Resultado: até 14 de setembro de 2021.

Em ambas as iniciativas, o valor solicitado à FINEP/FNDCT na proposta deverá, obrigatoriamente, enquadrar-se entre o mínimo de 200 mil reais e o máximo de 2 milhões de reais.

No dia 9, o destaque da programação será o lançamento do desafio para pequenos agricultores, explorando possibilidades de conexão entre bioeconomia e agricultura familiar. Também será dedicado um espaço para debater pesquisas, biomas e o impacto do desmatamento da Amazônia no clima do planeta. Saiba mais aqui.